Em apreço à história e à cultura, adotou-se a denominação ``Solar da Corte`` para o imóvel situado à Rua Gaspar Neves, nº 3.107, no Centro Histórico de São José, SC.  Diversos argumentos confirmam a correção dessa escolha, embora não se trate de demonstrar um vínculo histórico objetivo, mas sim de uma  simples alegoria, aproveitando o fato de que, pelo menos durante um dia, essa edificação assumiu as funções de Paço Imperial, e as pessoas que nele residiam  exerceram temporariamente as funções da Corte Imperial. 
 
 

O período mais destacado da  história do Solar da Corte, século XIX, está ligado à figura ilustre de Joaquim Xavier Neves (1793-1872). Lider influente do Partido Liberal  foi vice-Presidente da Província e Deputado na Assembléia  
Em função do prestígio regional da família durante o Império,  diversos os historiadores passaram  a nomear o imóvel através da expressão `Solar dos Neves``, embora essa designação não tenha sido confirmada em documentos oficiais.   
A importância histórica da edificação foi engrandecida no ano de 1845, ao assumir em 20 de outubro a condição de Paço Imperial , quando nele foi hóspede o Imperador D. Pedro II.  Por ser uma das moradias as mais refinadas da vila,  os monarcas brasileiros, aceitaram a hospitalidade do anfitrião o Coronel Joaquim Xavier Neves. Na ocasião, após a revista das tropas com 800 soldados  perfilados,  o casal imperial ofereceu recepção  banquete às autoridades locai  em que foram condecoradas as figuras de maior destaque da comunidade .   
A visita imperial foi objeto de uma série de reportagens oficiais no ``Relator Catarinense``
O imóvel foi construído no século XVIII, constituindo um marco histórico e arquitetônico da construção colonial rústica portuguesa de grandes dimensões.  A fachada frontal se destaca entre as demais, enquadrada por cunhais e cimalha em massa e dotada de cinco grandes janelas em arco abatido além da portada, sendo as paredes extarnas em alvenaria auto-portante de pedra e as internas em pau-a-pique.  

No território catarinense, raras edificações mantêm as características originais de suas construções, já que a grande maioria sofreu transformações no século XX com substituição dos materiais de revestimento, de estrutura e de cobertura. Por conservar todas as características originais da época sua preservação é considerada de inestimável importância, tanto para salvaguardar a arquitetura tradicional da ocupação do litoral catarinense, quanto para cultuar a história de colonização do Município de São José.

historia & arquitetura

To play, press and hold the enter key. To stop, release the enter key.

press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom