O Solar da Corte é um imóvel histórico protegido por tombamento municipal,   situado no Centro Histórico de São José, na região metropolitana de Florianópolis. 

Através de cuidadosa restauração empreendida ao longo de quinze  anos pelos seus proprietários, o casal Julieta e Gilberto d´Ávila Rufino,  realizou-se o  resgate e preservação arquitetônica da imponente edificação, típica do Século XVIII, mantida no seu estado original e decorada com móveis e antiguidades no estilo da época. 

Conjugando-se a outras  iniciativas de revitalização desse setor urbano, institui-se no imóvel  um Espaço de Cultura que acolhe atividades como gastronomia, exposição de antiguidades e manifestações artísticas.

A denominação ``Solar da Corte`` visa homenagear os eventos históricos que sucederam  no imóvel no tempo do Império. Dentre todos, o fato mais relevante é que Dom Pedro II e sua esposa a Imperatriz Theresa Cristina, nele foram hospedados durante a visita a Sâo José, no mês de outubro de 1845.

to

  • Wix Facebook page
SIGA-NOS
PARA MAIS INFORMAÇÕES
sobre o Solar da Corte
entre em contato

gilbertorufino@gmail.com

Tel: 48 991447417

APRESENTAÇÃO

Uma ação cultural planejada 

 

O empreendimento cultural Solar da Corte, adota um plano negócios consagrado em países desenvolvidos onde a revitalização do patrimônio ocorre em grande parte  pelo esforço da iniciativa privada.

 

Uma das estratégias consistirá em desenvolver a compreensão do público sobre o valor arquitetônico do imóvel e dos fatos históricos importantes que nele ocorreram.  

 

Nesse sentido, o próprio  Solar exercerá a ação principal, através de exposições, manifestações literárias, apresentações musicais,  reuniões e outras atividades sem fim lucrativo, relacionadas direta ou indiretamente com a função cultural projetada.  (Projetos de patrocínio serão elaborados visando o apoio da ação cultural).

 

Porém, a sustentação econômica deverá ser proveniente notadamente das seguintes atividades: a) locação de espaço de eventos e festas, com ambientação e arquitetura de época, no piso superior (com possibilidade de extensão programada a todo o imóvel); b) bistrô musical (brasserie – café) na parte térrea (entrada pela lateral), incluindo as pérgolas no pátio aberto; c) almoços ou jantares gastronômicos preparados por chefs convidados  resgatando o saber culinário brasileiro do período do Império, consolidado na obra ``O Cozinheiro Imperial`` que constituirá uma espécie de guia temático) desses eventos gastronômicos.